Revolução das Bicicletas

Hoje estava empolgado com a chegada próxima de minha nova velha magrela, na verdade uma belíssima Peugeout speed 1970, que estava meio sucateada num mercadinho de pulgas da minha cidade (que vale uma visita turística), e que levei no melhor bicicleteiro da paróquia para desmonta-la, jogar o que estava enferrujado, velho, torto, no lixo (reciclável, obviamente) e levar o quadro e o garfo para pintar.

Dada a empolgação e porque bimestralmente me encontro na Cidade Eterna para trabalhos, estava lendo os blogs sobre a Critical Mass em Roma, da qual um dia quero participar, e me deparei com um post sobre uma Ghost Bike em homenagem à Eva, uma bela ciclista italiana que foi atropelada por um Taxi.

Conheço as ruas e o trânsito romano, com seus inúmeros Táxis e Scooters gigantes disputando cada metro quadrado (inclusive as calçadas) de uma das mais belas e antigas cidades do mundo. Revelo que ao longo de 7 anos que venho e volto da capital italiana, venho me surpreendendo com a maior presença de bicicletas e ciclovias nas ruas da Urbe. A cada visita na cidade vejo mais senhores impecavelmente vestidos, montados em suas magrelas, e as belas romanas…

Paris também já tem suas bikes na rua. As pessoas utilizam tranquilamente esse belíssimo meio de transporte para ir ao trabalho, para dar um passeio, para se exercitar e muitas outras coisas.

Bike diante do Hôtel de Ville

Nas duas capitais européias as bikes já têm seu lugarzinho, ainda que disputem espaço com os desleais carros. Essas tremendas máquinas desperdiçadoras de energia, que pesam mais de uma tonelada e, em geral, nas grandes cidades, levam somente uma pessoa.

O lance é o seguinte, dear fellows, bike é o futuro! Primeiro, ela pesa pouquinho, só um tiquinho, e não ocupa espaço. É facinho estacionar e com um bom cadeado, você já tem sua bike protegida. Além disso, se roubarem, fora o valor sentimental, você não terá perdido o preço de um apartamento, como é um carro no Brasil.

Ela não polui, nem se o dono comer uma feijoada no dia anterior, e ainda colabora para queimar a feijoada e proteger o ciclista de futuras doenças coronárias. O que diminui o custo dos serviços de saúde no Brasil.

Não usa petróleo, o que contribui para que o Chávez não seja tão absolutista, e os caras parem de dar tiros no Oriente Médio. Já te prepara para o verão, queimando os malditos pneuzinhos que vêm pendurados na tua cinturinha. Pode pedalar ouvindo um sonzinho, ainda que não seja tão recomendável (no carro, o foninho dá multa, galerinha).

Ah, e tem magrela pra fashionista nenhum botar defeito. Para os equilibristas e acostumados, tem as “rodas fixas”, para os saudosistas, até a Caloi relançou a famosa Caloi 10, tem Mountain Bikes e Speeds para todos os gostos. Você também compra bikes totalmente urbanas e preparadas para a cidade. Existem até as lindinhas dobráveis, que você pode levar e colocar embaixo de sua mesa de trabalho, sem medo que alguém a leve embora, se deixar presa no poste.

Então, o lance é esse, compre uma bike sob medida (importante isso), ponha o capacete pra proteger o cabeção, use uma luvinha pra não ficar com calos e se cair, ficar sem ralado na palma das mãos, coloque luzinhas (vermelha atrás e branquinha na frente), para ser visto pelos veículos. Cuidado ao passar ao lado de carros parados, pois uma porta pode sempre se abrir. Não ande colado na guia, pois pelo código de trânsito, você tem direito ao espaço do carro, caso não haja ciclovia ou ciclofaixa na via pública. E, por favor, não pedale na calçada. Isso é feio, falta de educação. Na hierarquia de importância das ruas, o ciclista é o segundo, logo após o pedestre, e procure pelos passeios ciclísticos de sua cidade e, na última sexta-feira de cada mês, participe na Critical Mass, que no Brasil chama-se Bicicletada (http://www.bicicletada.org/).

Vamos fazer nossa parte. Pois você pode até pensar: – Pô, mas eu sou só um!

E eu vou te dizer: – Isso mesmo, você é só um. Mas é só de um que precisamos.

Abraços e boas pedaladas.

Pré editorial




Karol_Martins_Pre_01

Originally uploaded by J. Caetano

Meus caros, essa foto é só, tipo, uma polaroid, da modelo Karol Martins, para nossa equipe preparar os looks, maquiagem, cabelo para o editorial que faremos no final de agosto em uma linda praia já selecionada.

Contudo, ainda que a modelo esteja sem maquiagem, com um look de dia a dia, é impressionante a beleza natural da Karol, o que me inclinou a postar essa foto em nossos canais de Internet.

Isso também me permite falar sobre provas de estúdio.

Eu sei que o que se faz em estúdio, com luz controlada, com fundo branco, vai ser totalmente diferente quando formos pro ar livre, e dependermos do carinho de São Pedro em segurar a onda das nuvens e outros fatores inerentes a fotos externas.

Contudo, dado meu perfeccionismo eu gosto quando a modelo participe, se possível, de várias etapas do editorial, e também gosto de fazer umas fotos em estúdio para que nossa equipe possa já ter material para trabalhar ao pensar nos looks, na maquiagem, no cabelo e nos detalhes todos.

Dessa forma, hoje, além de um delicioso brainstorm que animou a manhã de sábado, já rolou um mini-showtime aqui em nosso estúdio, que pela beleza da Karol, já mereceu ser publicado de cara.

Imaginem o resultado do editorial se só o teste já foi assim!

Não demoramos nem 40 minutos para fazer essas fotos e nosso próximo encontro com a modelo já vai ser para experimentar os looks e para o showtime. Legal, não?

Claro que nem todo mundo tem essa disponibilidade, principalmente com a correria do dia a dia, tanto das modelos, quanto de nossa equipe. Mas, se possível, sempre é bom.

Time is NOT money. Mas o tempo usado com sabedoria, leva à perfeição.

Abraços a todos.

J. Caetano

Tendência em casamentos: Trash The Dress

Durante anos planejando, sonhando, montando e remontando na imaginação como será seu grande dia diante da igreja ou na recepção, esses são os planos de quase todas as mulheres que pretendem se casar um dia.
Eis que surge uma nova tendência no Brasil que já é comum há algum tempo na Europa e nos Estados Unidos, o Trash the Dress. Por que não ousar um pouco nessa data tão importante para um casal? seja a noiva ou o noivo, um dia qualquer quando pegarem seu álbum de casamento, um, dois, dez ou vinte anos depois, olhar para trás e pensar nos momentos felizes que passaram juntos, aproveitando e ousando das oportunidades…

d+j1

Essa é a minha proposta aos casais que quiserem recordar com emoção do seu grande dia, ou ainda fazer mesmo depois do casamento um ensaio “Trash the Dress” seja na praia, campo, montanhas ou ainda em locais urbanos. Na Stone a criatividade não tem limites, estamos à disposição para suas sugestões.

d+t

d+j3

v+d

Abraços,
Diego Migotto

A moda te assusta?


Max&Co

Originally uploaded by J. Caetano

Minhas Caras e meus Caros Amigos,

A moda te assusta? Por qual motivo? O preço? As passarelas? As chamadas “tendências”? Pois saiba que todos nós somos vítimas desse maravilhoso mercado e desses criadores magníficos.

Lembro como se fosse ontem a primeira vez que assisti a “O Diabo veste Prada”, com impressionante atuação de Maryl Streep, (depois de vâ-la em Mamma Mia! e em It’s Complicated, a considero minha atriz preferida) e havia uma cena em que a nova secretária, vivida por Anne Hathaway, solta um risinho quando apresentam dois cintos azuis para a poderosa editora escolher e a produtora comenta que era muito diferentes (ainda que aos olhos laicos fossem quase idênticos).

Com ar aristocrático, Miranda Priestly (personagem de Streep), tece uma história sobre o suéter azul de Andy Sachs (Hathaway), que era fruto de uma “sale” qualquer, sendo que aquele azul tinha sido escolhido naquela sala, anos antes, para estampar a coleção de inverno de Oscar de La Renta (se não estou enganado) e que, depois de passar pelas passarelas e revistas, acabou tingindo o suéter que a novata secretária comprara em uma baciada e usava naquele instante.

Enfim, a moda, com todas suas terminologias, suas mulheres maravilhosas, seus criadores e críticos altamente pensantes e intelectuais pode parecer um mundo extra-terreno. E, para falar a verdade, é. É um mundo só, cheio de cores, formatos, geometrias, luzes, flashes, penteados e maquiagens, mas que, como um universo paralelo a interagir com nossa terra normal, acaba invadindo e influenciando nossos gostos e desejos.

Nesse sentido, a moda assusta quem não entendeu que essa indústria é mais que um simples mercado, mas é um universo, que não está voltado somente a roupas e cabelos, mas que flerta com a música, com a arte, com a poesia, com o sentir-se bem, com nossas cidades, nosso jeito de ser.

Só para se ter um exemplo: hoje o mundo da moda volta-se para o sustentável. Não porque simplesmente alguém disse que tem que ser, mas porque os criadores da moda já se deram conta que o mundo precisa de alguém que ensine a não gastar os recursos finitos em demasia.

“Está na moda” ser sustentável, andar de bike, deixar o carro de lado…

Enfim, a moda assusta sim, principalmente aos mais desatentos aos sinais dos tempos.

Beijão para todos.

Safari estará em alta na próxima estação, mas…

Todos os críticos de moda, revistas especializadas e também os bloggers concordam que modelos Safari estarão em moda na próxima estação, em cores relacionadas ao tema e looks mais cleans, porém é certo que o safari vem quente na próxima estão, mas…

Queridos amigos, tem safari e tem safari.

Vejamos, por exemplo, o caso abaixo:

Aí está um modelo de “safari” que não deve ser usado em nenhuma estação e, talvez, nem em um verdadeiro safari, nas savanas africanas.

Queridas e queridos, por favor, ao utilizar um modelo safari, atentem para o bom senso, para a estética, para a beleza. Vale ressaltar que o safari não cai bem pra todo mundo. Nem todo perfil se encaixa nos modelos que estão chegando aí.

Um abraço.

J. Caetano

Open Boots, Open Minds

Nesse verão europeu, por motivos de trabalho, obviamente, pude visitar as duas capitais mais fashion, para mim, que são Roma e Paris. E, como minha querida 5D Mark II já estava na mochila, não pude perder a oportunidade de me lançar ao street style.

Para as mulheres que amam botas mas que as deixam bem guardadinhas no fundo do closet durante o verão: surpresa! Existem as Open Boots, que podem ser usadas no verão, inclusive no nosso verão brasileiro. Por sinal, como nosso inverno está razoavelmente quentinho, quem sabe, pode-se antecipar a tendência e usa-las agora mesmo. Tudo bem que ainda é meio difícil de encontrar Open Boots em nossas vitrines, mas elas já haviam chegado esse ano, mas de maneira discreta, mostrando só os dedos, ou o calcanhar. Contudo, na Europa elas já chegaram com tudo, bem abertas, quase sandálias (por sinal, ainda tenho problemas de identificar o que é sandália e o que é realmente uma Open Boot)

Open Boots mostrando sua força no fim da primavera romana (Foto: J. Caetano/STONE)

Nesse modelo acima, vemos um modelo mais “cowboy”, desfilando na Piazza del Popolo, no centro de Roma. Destino de 9 entre 10 turistas da Cidade Eterna. O solado baixo garante o conforto para as caminhadas no antigo calçamento romano, já que a melhor maneira de se conhecer a antiga capital do Império é andar.

Open Boots mostrando a parte detrás das pernas, combinam bem com jeans curtinho (Foto: J. Caetano/STONE)

Alguns modelos, como o dessas garotas desfilando pela Corso Vittorio Emanuele II, em direção à Ponte Sant’Angelo, já trazem uma abertura maior, principalmente na parte detrás das pernas. Essas peças combinam bem com jeans curtinhos e prometem passear por aqui no verão.

As botas fechadas ainda encontram seu lugar no verão (Foto: J. Caetano/STONE)

Agora, se não sentir tanto calor nos pés, as botas fechadas ainda fazem sucesso em dias menos quentes, e podem ser usadas como nas fotos, sempre combinadas com roupas leves.

Porém, particularmente, ainda que com o receio de algumas mulheres, as Open Boots chegaram nesse verão europeu e tendem a vir para o sul quando o clima esquentar por aqui. Open Minds para as Open Boots, Ok?

Dou o selo de “Pura Moda” para as Open Boots!

J. Caetano

Showtime – Fernanda Torino




Fernanda Torino 030

Upload feito originalmente por J. Caetano

Ontem a Stone fez uma festinha para entregar o super trabalho feito em parceria com a AD Lifestyle do Taubaté Shopping (thanks to Ana Paula Schimidt), com a modelo Fernanda Torino, com direito a espumante e projeção das fotos e do Making Of.

Fernanda é uma das modelos mais show que já passaram pelas lentes da Stone. Um verdadeiro amor de pessoa. Aproveitamos para agradecer também a Universidade de Taubaté que nos cedeu a locação maravilhosa (Sabemos da responsabilidade de utilizar uma locação tão bela e histórica).

Modelo linda, sexy e amor de pessoa, somada a uma locação mágica, o resultado só poderia ser maravilhoso.

A produção ficou a cargo de Ana Paula Caetano e Ane Sotero. A Direção Artística no local e os vídeos foram obra de Diego Migotto e a assistência de Kauê Paes de Barros.

Fotos de José Caetano, fundador da Stone.

As botas do inverno 2010

Não tem como fugir, nem como negar, a peça coringa de todo inverno é a bota. A cada ano surgem novos modelos e para ajudar as mulheres na hora da compra, resolvi criar este post com as tendências 2010 desse calçado tão cobiçado! É importante saber qual fica melhor em você e saiba quando usar determinado tipo de modelo.

Ankle boots – Apareceu ano passado e continua em alta, use com meia-calça ou um jeans bem justo, se tiver uma legging melhor! Agora, se você tem pernas grossas, esqueça!

Bota de cano médio – Fica na altura das canelas, use com roupas femininas e delicadas, combinam com vestidos. Mas essa também não fica legal se você tem pernas grossas pois realçam a região da panturrilha.

Overboots – É o modelo que fica na altura das coxas. É bem ousada, sob uma saia e com meias fica ótima, mas se você for baixinha não é a indicada.

Hiking boots – Tem o mesmo modelo das Ankle boots, a diferença é que são cheias de detalhes como tachas, furos, laços e desenhos.  Não devem ser usadas em situações formais.

Coturnos – De inspiração militar, estão em alta! Faça uma produção diferente e use com vestidos leves.

Aproveite que o inverno está começando, escolha a bota que combina com você e arrase!

Bjs, Ygor Asmar

Ônibus totalmente Fashion




Ônibus totalmente Fashion

Upload feito originalmente por J. Caetano

Grandes cidades já estão se adaptando à nova “moda” de coisas ecológicas e o mais legal é que tudo isso tem haver com o mundo da moda mesmo.

Não sou um ecologista, desses tipo “greenpeace”, porque todo exagero deve ser combatido, em todos os sentidos, e gosto de comer minhas picanhas na brasa e outras coisas que poderiam ser tidas como anti-ecológicas, etc. Outra coisa também é a carta da terra, que estão aí querendo substituir a Declaração Universal dos Direitos dos Homens. A única coisa que digo em referência a isso é que toda ecologia, só é ecologia de verdade, se atender ao homem, pois de que vale um mundão verdão e bonitão, se não estivermos aí para curtirmos ele.

Contudo, algumas iniciativas eu aprovo (quem sou eu para aprovar?) e recomendo. Pois nesse caso não se trata de ecologia, mas de evitar a burrice, a estupidez, o gasto besta de petróleo, que só causa guerras e mais guerras, e utilizar uma energia renovável.

Esses micro ônibus de Roma já estão lá há algum tempo. Lembro deles desde a primeira vez que pisei na Cidade Eterna, e sou apaixonado por eles, por seu silêncio, por sua portabilidade, que lhes permite passear no centro histórico de Roma em ruas que poucos carros passariam, e ainda por sempre, sempre trazerem propagandas lindas em suas costas. Esses da foto estão no começo da Via del Corso, uma belíssima rua com muitas lojas legais, que está no meio de muitos locais turísticos.

Quem dera os governantes brasileiros, principalmente das pequenas cidades, adotassem essas baratas e belíssimas soluções de transporte público. Melhor que eles, só bicicleta mesmo, que além de todas as vantagens, ainda colaboram com a forma física do povo, deixando-o mais saudável, bonito, e diminuindo as filas nos postos de saúde, principalmente por doenças causadas por problemas de hipertensão e doenças de coração.

Vai a dica, pra ver se algum prefeito de peito encara essa idéia. O de Roma já encarou.

Abraços a todos!

J. Caetano (de volta ao Brasil e preparando os posts sobre tendências dessa semana)

Exagero publicitário


Roma_14jun2010 325

Upload feito originalmente por J. Caetano

Tudo bem que mulher pelada, cachorro e criança em anúncio é tiro certo para vender o produto, mas tentem me explicar o que esse povo desnudo está fazendo no anúncio de comida de cachorro e gatos.

E esse outdoor está espalhado pela cidade inteira, chegando a poluir a vista.

Bom, agora estou esperando o vôo para Paris, onde faremos uma session de streetstyle para tentar antecipar as tendências do próximo verão brasileiro. Na verdade o que vai estar no verão do Brasil nos próximos anos, já que herdamos muitas tendências do velho continente no que diz respeito à moda. Os mestres fashion ainda circulam pelo eixo Paris-Milão-Roma, ainda que já tenhamos grandes nomes na Terra de Santa Cruz (como os sucessores de Cabral a chamaram, antes da destruição do pau-brasil)

Enfim, na próxima semana já iniciaremos nossa revista eletrônica de moda que prometemos. Com artigos resumindo a Rio Fashion e a SPFW, e com as tendências de verão da Europa.

Abraço a todos.
J. Caetano